2015

 

FILMES

CUEVAS DE LAS MANOS – Santa Cruz – ARGENTINA
Sitio arqueológico CUEVAS DE LAS MANOS. Pinturas rupestres que datam de 9.000 a 7.200 a.C. que retratam cenas de caça, negativos de mãos, animais e desenhos abstratos.
Muito interessante!
https://youtu.be/f-9iURbqQ6E

EL CHALTÉN – Argentina
É um povoado ao Sul da Cordilheira dos Andes, aos pés do magnífico Cerro Fitz Roy, fundado muito recentemente, em 1985, para marcar território argentino frente ao Chile. A partir daí o governo ‘doa’ terreno para quem tiver um projeto para o desenvolvimento da região. Chaltén na língua tehualche significa ‘montaña fumegante’ devido a constância das nuvens ao seu redor.
Como a região é extremamente bela, é considerada a ‘segunda cidade do mundo para conhecer’ – Lonely Planet 2015. Apesar do fluxo turístico El Chaltén é um lugar simples, com muitos mochileiros, alpinistas, caminhantes – capital do trekking – aventureiros de toda ordem, pousadas, campings, comida básica mas saborosa.
https://youtu.be/eMFnod61By4

CANAL DE BEAGLE – Argentina/Chile
Separa as ilhas do extremo sul do continente da Terra do Fogo, no extremo da América do Sul. Partindo do porto de Ushuaia, visita-se várias ilhas pelo caminho, como a dos Pássaros, Alicia, Bridges e Redonda, onde se avistam lobos marinhos, pinguins, cormoranes e outras aves marinhas até a estância Harberton, onde viveu o primeiro homem branco na Terra do Fogo. Canal de Beagle deve seu nome ao navio britânico HMS Beagle, que no século XIX levava a bordo o célebre naturalista Charles Darwin. As principais zonas habitadas nas margens do canal são Puerto Williams (Chile) e Ushuaia (Argentina).Sua parte oriental marca a fronteira entre o Chile e a Argentina, mas sua parte ocidental pertence ao Chile.
https://youtu.be/_YR8SaqIeyk

PASO SICO
De Salta à San Pedro de Atacama via Paso-sico. Argentina/Chile
É uma das opções para a travessia dos Andes ligando os dois pontos. Suas bonitas paisagens justificam esta rota (mas não deixem de conhecer a outra travessia pelo Paso Jama!). Saindo de Salta pela RN51 até San Antonio de Los Cobres – 170km de estrada boa, passando por paisagens magníficas e o ponto mais alto a 4560msnm – Alto Chorrillo. Mais 130 km até a fronteira com o Chile. Daí, mais 210 km até San Pedro de Atacama e novamente outras paisagens sensacionais incluindo cores, salares, vulcões e as famosas ‘Lagunas Altiplânicas’. Realmente um trecho de ‘tirar o folego’!
https://youtu.be/yTn1Jcp6QMw

SALAR DE UYUNI – Bolívia
Maior superfície de sal do planeta. Localizado no altiplano sudoeste da Bolívia na altitude de 3650 metros sobre o nível do mar. Algumas ‘ilhas’ que são remanescentes de topos de vulcões aparecem com a vegetação típica de grandes cactos que crescem a média de 1cm/ano e chegam até 12 metros de altura. Em alguns pontos aparecem buracos na superfície com ‘cavernas’ sob a camada de sal o que exige bastante atenção.
Com certeza é um dos ícones naturais mundiais a ser visitado!
https://youtu.be/HmaMQZa6Ufg

DE UYUNI A VILLAZÓN – Bolívia
Saindo do Salar de Uyuni na Bolívia, para a Argentina, o caminho ‘natural’ – asfalto – seria ir até Potosi e seguir para o Sul pela RN 14 até Villazón, fronteira com o Norte da Argentina. O problema é que na Bolívia os ‘paros’ – greves – são uma constante e desta vez não foi diferente. Em Potosi estava havendo um ‘paro’. Outro caminho era pela RN 21 até Tupiza e daí seguir para Villazón. A uns 70 km de Uyuni o CORISCO quebrou a barra de direção (braço Pitmann)! Sorte que foi em lugar plano, de velocidade muito baixa e apesar de ter saído da estrada, não causou danos maiores. Voltamos com o CAMARADA rebocando o CORISCO uns 20 km até uma vila, Pueblo Suchi, que não tinha mais do que 10 casas e por sorte, muita sorte, tinha uma máquina de solda! Feito um conserto rápido, o CORISCO voltou para Uyuni fazer um conserto definitivo e o CAMARADA seguiu viagem. Erramos o caminho e enfrentamos uma estrada de rípio, bastante acidentada, estreita mas de uma beleza impressionante. Passamos pela mina Villa San Vicente, onde foram mortos os lendários pistoleiros Butch Cassidy e Sundance Kid mas não nos foi permitido pernoitar. A noite chegando e nada de encontrar lugar para pernoitar. Já tarde da noite, avistamos uma pequena vila e lá pernoitamos na beira da estrada, Villa Nazarenito. Daí em diante, até Tupiza foi um show da natureza em formas e cores deslumbrantes.
https://youtu.be/NzDAfdxDXXQ

CABRA CORRAL – Argentina
85 km de Salta o Dique de Cabra Corral, nome que na verdade deveria ser “Corral de Las Cabras” tem espaço para acampar, passar o dia praticando esportes náuticos, pesca, esportes de aventuras além de bungee jumping na barragem que tem 93 metros. Vários barcos estão preparados para levar famílias, pescadores e aventureiros em passeios de algumas horas dias. Ficamos acampados na beira do lago, sem infraestrutura mas tranquilo. Há um camping municipal logo na entrada onde se pode obter água. Um passeio ao redor do lago apresenta uma paisagem muito interessante. Destino dos salteños nos fins de semana.
https://www.youtube.com/watch?v=8bC9-7rH77Q

QUEBRADA DE LAS FLEXAS –  Argentina 
Na Ruta 40 entre Cafayate e Cachi – Ahttps://youtu.be/HmaMQZa6UfgRG. Uma travessia notável pela Ruta 40. São 20 km de rípio de uma formação rochosa de feições inclinadas e pontiagudas que se assemelham a pontas de flechas (daí o nome) formando desfiladeiros estreitos com paredes de até 50 m de altura.
https://www.youtube.com/watch?v=dWdrqQFqIJM

DE PICA A COLCHANE – Chile
Pica é uma pequena cidade no Chile situada no interior do deserto de Atacama formando um pequeno oásis onde se cultiva o famoso e delicioso ‘limão de Pica’. Daí, subindo para o altiplano andino por carretera de rípio, trechos com bastante ‘costelas de vaca’ e poeira. Quase na divisa com a Bolívia aparece o espetacular Salar Del Huasco que, pode-se dizer, pertence ao complexo do Salar de Uyuni na Bolívia. Continuando por caminhos pouco percorridos chega-se ao pequeno povoado de Lirima onde nos é permitido pernoitar. Dia seguinte segue a viagem por paisagens deslumbrantes típicas de terreno vulcânico e clima desértico onde se chega a Colchane, fronteira com a Bolívia, aos pés do Vulcão Isluga. Viagem espetacular!
https://www.youtube.com/watch?v=OYt5xXsvq0g&t=1s

TRAVESSIA DO PARQUE HUASCARÁN – Peru
O Parque Nacional de Huascarán é Patrimônio Natural da Humanidade, por sua beleza formada pela Cordilheira Branca, a ‘Suiça Peruana’. Aqui se encontram os picos nevados tropicais mais altos do mundo, como o Huascarán, com 6.768 msnm, o mais alto do Peru. A área é um paraíso para os aficionados por esportes de montanhismo e amantes do turismo de natureza.
Nossa entrada no parque foi pelo Leste, Sector Ichic Potrero – Carretera Pastoruri. É uma travessia de rípio com mais ou menos 30 km. As atrações do caminho, o colorido da vegetação, lagos, montanhas cobertas de neve…e a geologia estrutural da área são de uma beleza excepcional!
Aí se encontra a maior Bromeliácea do mundo a Puya Raimondii. Uma gigante com 12 m de altura que produz em uma única oportunidade 8.000 a 20.000 flores e até seis milhões de sementes.
https://youtu.be/SdbVbPoCR_0

Parque Arqueológico de Tierradentro está localizado no departamento de Cauca, municípios de Belalcázar e Inzá – COLÔMBIA. Em 2008 foi eleita a quarta maravilha da Colômbia pela Revista Viajes & Aventura.
Tierradentro compreende uma extensa área de relíquias arqueológicas formadas por estátuas de pedra e hipogeus (Hipogeus, do grego hypo (abaixo) e gaia (terra), são monumentos funerários subterrâneos). A datação gira em torno de 600 a 900 d.C.
Os hipogeus ou tumbas subterrâneas com até 9 metros de profundidade com poço de acesso de engenhosos degraus até uma câmara funerária com rica decoração com complexos desenhos geométricos e figuras de diversas cores e colunas.
A estrada, Ruta 26, Totoró-Inzá, estava em obras. Muita poeira, paradas, esperas e tempo muito maior que o previsto. Mas valeu a pena!

Ainda pouco explorado pelo turismo o pequeno deserto de Tatacoa é um microcosmo com temperaturas que chegam a 40°C que não é um deserto de areia mas uma floresta seca tropical com baixíssima precipitação onde os agentes da natureza esculpiram o terreno em interessantes formas de relevo. A ausência de umidade é ideal para a observação das estrelas. Não por acaso há um observatório onde se pode ter aulas noturnas de astronomia.
https://www.youtube.com/watch?v=hLKm0idyDmU

 

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *